Respostas à vossas questões (FAQ)

Frequently Asked Questions (FAQ)

A Verdade diante do Mundo

 

Última atualização 09/2013

 

Vós, que vindes nos fazer perguntas com respeito á Tradição dos Druidas sois muito numerosos. E há inconseqüentes ou impostores que se acreditam autorizados à divulgar não importa qual fantasia, ou mesmo delírios, para se fazer valer e assim ocultar sua falta de Conhecimento.

 

Sem meias palavras nem escapismos, respondemos abaixo àquelas que nos são mais comumente questionadas. As perguntas e respostas estão agrupadas por temas. As respostas estão conformes ao espírito da Tradição Primordial, referência não sómente dos Druidas, mas também de muitos outros. Perceba a concordância com as leis civis e profanas de muitas democracias ocidentais.

 

Podeis nos fazer outras perguntas em : druidas@globo.com .

 

ATENÇÃO

Falsos emails reportando associação presumida com a

Assembléia da Tradição Druídica poderão surgir = Contravenção

 

Numerosas pessoas poderão receber eventualmente emails de outros que se digam « videntes, vates ou druidas com fenômenos paranormais » e outras falsas identidades, mas com práticamente o mesmo argumento de vendas.

 

Estes emails vos pedem para desembolsar algumas dezenas de Reais para o benefício da Ordem dos Druidas, à partir de cujo pagamento é assegurada a recepção de « ritos initiáticos e secretos » de poderes maravilhosos.

 

A Ordem dos Druidas jamais será mandatária de uma tal operação, totalmente não conforme à sua tradição e ética, e jamais será beneficiária de alguma soma paga por estas pessoas inescrupulosas.

 

De mesma forma os « rituais » que receberão (talvez), aqueles que se deixem abusar por estas proposições falaciosas, não emanam de forma alguma de nossa Ordem e não têm nenhum valor ou poder.

 

Nenhuma das diversas identidades fornecidas pelos « videntes, vates ou druidas com fenômenos paranormais » será de alguém conhecido pela Ordem dos Druidas.

A melhor maneira de tratar estas proposições é de prestar queixa às autoridades judiciais de vossa localidade.

 

Jamais un Colégio pertencente à Ordem des Druidas (OD / OCCTD) faz campanhas comerciais nem proseletismo.

 

Se receberdes tal email, é com certeza uma contravenção a denunciar .

 

O Serviço  de Communicação da OD / OCCTD

 

 

 

Perguntas Que Aparecem com Freqüência ! :

 

 

1/ Eu vos escrevi para ter uma entrevista,  mas não recebi resposta.

 

Resposta : Se havedes escrito por e.mail, é possível que jamais tenha sido recebido. Enviai novamente uma cópia com pedido de acusamento de recepção, e sejais pacientes pela resposta, porque há dias em que estamos afogados de tanto correio. Se havedes escrito por correio postal, este é o mesmo caso. Mas para receberdes resposta, será necessário anexar um envelope endereçado com selo incluso, pois nosso orçamento não nos permite responder à nossas custas.

 

Finalmente, é inútil nos escrever para pedir documentação impressa, apenas o site será vosso meio inicial de contato

 

2/ Druidas e néo-Druidas, qual a diferença ?

Resposta : Os Druidas e autros Sacerdotes regulares são consagrados segundo uma Regra iniciática transmitida por uma longa sucessão disciplinar à partir de um Atrawon / Ver Druis / uma ver Ban Drui reconhecido(a) por seus pares e seus sucessores.

 

 

Os « néo-Druidas » são, seja pessoas auto-proclamadas « druida » ou « ban-drui » ou outro tìtulo mais ou menos fantasioso, pela invocação maior ou menor dos usos e costumes celtasde forma mais ou menos folclórica, seja os seguidores de tais pessoas, não reconhecidas pelo conjunto dos Druidas da Tradição. Em geral, é antes mais por sede de poder ou vaidade que por busca espiritual que agem tais indivíduos, aos quais de deve  denunciar a impostura. Este gênero de movimento começou à aparecer desde o século XVIII, geralmente utilizando de algum sincretismo duvidoso. Veremos que eles se servem de certos usos druídicos para fazer confiável suas doutrinas perniciosas, mas evitam à todo custo colocar-se humildemente ao serviço da Egrégora da Tradição Primordial, que frequentemente eles desprezam sem argumentos válidos.

 

Mas, antes de tudo, não devemos generalizar a todos pelo fato de os seguirem.. Com efeito, entre estes, numerosas pessoas de boa fé e às vezes de uma alta espiritualidade são abusadas e manipuladas por estes nocivos « mestres » e seus estados-maiores. E um certo número tornar-se-ão bons sacerdotes regulares entre nós uma vez que tenham tomado  consciência de seu equívocos e regularizem sua vinculação para com a Tradição. Se é este o vosso vós caso, não hesitai em requerer nossa ajuda, sereis recebidos com a maior benevolência como irmãos e irmãs.

 

Notemos que existem muito mais grupinhos néo-Druídicos do que assembléias pertencentes à Ordem dos Druidas regulares e conformes à Tradição.

Numerosos dentre eles possuem uma política proselitista e mercantilista indigna de nossa Tradição. Todas as assembléias de Druidas regulares fazem parte da OD e são conformes aos estatutos da l’OCCTD. Os néo-Druidas em geral, gostariam de se federar a todos os movimentos, inclusive os de Druidas regulares, contanto que sejam eles  que dirigissem a federação para seu próprio lucro.

 

Na realidade, só existe uma Ordem dos Druidas verdadeira composta de assembléias locais. Este é seu site oficial.

 

Lembremos que as Ordens regulares não trabalham para seu lucro próprio, mas pelo crescimento e pelo Amor do Incriado, do Mundo Divino e de sua maior Glória, ajudando todos seus irmãos humanos sem exceção à progredir nesta tomada de consciência, sem apego aos frutos de suas ações; humildemente.

 

 

3/ Já li em inúmeros livros que os Druidas praticavam sacrifícios, inclusive humanos. Estou abismado, pois acreditava que voces pregavam a não-violência. Qual é a verdade ?

 

Resposta : Autores como Cicéro ( de –106 à –43, politico partidário de César) , Julio César, (-100 ou -101, assassinado em –44 aprox.)  primeiro imperador romano,  Estrabão (historiador grego –58 à 25 ou 28 aprox.) Diodoro de Sicilia (nascido em Sicília em torno de –90, falecido no começo do 1º século),  Tito Lívio (nascido em Pádua em -99, morto em Roma em 17), Plínio o Velho (-23 à 79, escritor e naturalista, mas acima de tudo almirante romano),  Tácito (nascido em torno de 55, morto em torno de 120, historiador, procônsul do Império romano) e Amião Marcelino ( que continuou sua obra, nascido em Antioquia (Turquia) em torno de 330, morto em torno de 400), Orose (torno de 390 à 418 aprox., cristão espanhol autor de uma « história contra os pagãos »),  etc... realmente escreveram estas calúnias.

 

Os cinco primeiros podem pretender ter sido testemunhas de tais fatos dos quais teriam sido contemporâneos. Certamente os outros  não conheceram mais do que a servitude das nações celtas, portanto não podem que testemunhar a veracidade do que ouviram. Notemos que os cinco primeiros estavam muito envolvidos nos assuntos romanos da época, sendo inimigos dos gauleses e por isso possuindo havendo todo interesse em difamá-los.

 

 Seus escritos são todos tão pouco acreditáveis quanto a literatura divulgada por semanários quotidianos « populares » como o Sun britanico ou a imprensa americaina que apoia Bush, ou a de Saddam Hussein, ou os revisionistas neonazistas : É a de propaganda enganosa !

 

Propaganda retomada pelos cristãos, como  por Patrick ou Patrício (Patricius, nascido em torno de 385 na Inglaterra, morto em torno de 461, primeiro bispo da Irlanda), (sem se lembrar dos milhões de sacrifícios cometidos pela Inquisiçao em nome de sua igreja) e alguns sites na Internet onde arrogantes sem grande consciência continuam à martelar tais idéias recebidas sem fundamento sério !

 

Isto posto, em todas as épocas existiram impostores que fingiram o que não eram, inclusives falsos « Druidas » e cometeram crimes e atos de má fé sob falsas identidades. Seus atos de má fé não podem ser imputados àqueles dos quais eles abusam da identidade. (Assim como não se deve confundir muçulmanos e islâmicos, inquisição  e cristianismo)

A Tradição Primordial, referência dos Druidas e Sacerdotes sempre condenou a violência e todo o  tipo  de sacrifício.

 

Não há dúvida que tais crimes possam ter sido perpetrados no meio dos povos celtas desde da idade do bronze até a supremacia imperial romana. Mais devemos estar conscientes de que algumas religiões coexistiam com a filosofia dos Druidas, e que houveram, como atualmente, impostores que se pretenderam sacerdotes e que não hesitaram  em cobrir seus crimes e exageros fingindo agir segundo o Divino. Em nossa época quantos beligerantes pretendem agir em nome de Deus (Allah ou Jeová), enquanto caluniam e desprezam aqueles a quem prejudicam ?

 

Notemos que jamais um Druída autêntico preconizou tal prática ou disse que ela foi praticada em conformidade com nossos ensinamentos orais ou escritos.

 

As pessoas que o fizeram, cuja falta de escrúpulo é em geral conhecida, tinham interesse em promover o descrédito sobre nós, sem se importar em apresentar provas concretas.

É por outro lado mais provável que « mestres de cerimônias » que respeitavam mais o poder político secular do que a Regra da Tradição dos Druidas tenham procedido com tais horrores por razões que fácilmente adivinhamos, ao se pretender sacerdotes.

 

Serieis vós tão inocentes para lhes crerdes ?

 

4/ Qual(is) iniciativa(s) ou motivação(ões) são essencial(is) para ser admitido em uma assembléia sacerdotal OCCTD ? ; pertencente à OD/DO ?

 

Sómente são essenciais : A busca espiritual e o gosto para servir ao Divino. Se estas iniciativas não vos interessam, não podereis em caso algum tornar-se um dos nossos.

Numerosos são aqueles que buscam chegar junto a nós possuindo estas iniciativas : apaixonados pela história, o folclóre ou a música celta, a geobiologia, a « magia », etc.

Sentimos muito, mas não poderemos aceitá-los, e os aconselhamos a se inscrever em associações cujo objetivo essencialmente sejam estes.

 

A tìtulo indicativo, em cada (100) postulantes, menos de cinco (5/%) serão convocados para uma entrevista de seleção, menos de um (1%) será admitido ao noviciado. Deste noviciado, menos de um a cada 1000 (1/1000) destes cem postulantes será consagrado !

 

Par outro lado se vós desejais sómente seguir nossos ensinamentos e viver segundo seus preceitos, uma prática sincera e respeitosa somente é necessária e suficiente para fazer parte da Egrégora dos Druidas. E quem sabe, com o tempo, vós podereis adquirir a vocação sacerdotal !

 

5/ Eu escrevi um livro, …ou… eu faço uma tese sobre os Druidas, os Deuses Celtas, as virgens negras ou outros,  os megalitos, e adoraria ter acesso aos documentos de um Druida pertencente a Ordem.

 

Resposta : Sentimos muito ! Sendo quem saibam suficientemente para fazê-lo, então não necessitais de nossa ajuda, sendo quem não saibam o suficiente : neste caso evitai escrever  sobre nós !

 

 E se escreverdes uma tese, a honestidade, o respeito mais elementar para com vosso júri ou leitores consiste em apresentar vosso trabalho pessoal e não o de uma terceira pessoa, membro da Ordem dos Druídas ou não.

 

Um tal ato é um plágio que desonra com certeza a quem o comete.

 

Não contai com nossa colaboração e nosso apoio para cometê-lo.

 

6/ Sendo homosexual, posso me casar segundo a Tradição dos Druidas ?

 

Resposta : O ritual de reconhecimento conjugal não pode ser celebrado a não ser entre um homem e uma mulher exclusivamente.

 

 

7/ Eu não conheço nada sobre Tradição Primordial, eu não creio em vossos ensinamentos, mas eu desejo ser casado(a) por um Druída :

 

Resposta : Sentimos muito, mas vossas aspirações neste caso  não são espirituais:  Não contem conosco para fazer uma apresentação teatral ou folclórica, nós não somos atores

 

8/ Eu me caso em quinze dias, um mês, e desejo que o casamento seja celebrado por um druída :

 

Resposta : Neste caso  também sentimos muito, mas devido ao nosso tempo ser sobrecarregado, existem poucas chances de que possamos satisfazer vosso pedido se não o fizerdes com pelo menos  seis meses de antecedência  devido ás numerosas vezes com que somos solicitados para esta finalidade. A cada ano um número de casais devem assim proceder de modo a conseguir a data que tenham previsto.

 

9/ Em alguns  sites, está escrito que a morte é uma punição, em outros outros não. O que dizem os Druidas?

 

Resposta : O fenômeno que chamamos de morte é a passagem natural de um ser, de um estado de vida à um outro ( o ser morre assim, da vida material para uma (re)nascença espiritual, depois, se for necessário, renascerá na matéria pela reencarnação). A cessação de um estado depende do potencial de cada condição :

 

Assim o estado de certas partículas não é em geral mais que algumas frações de segundo,  o de alguns insetos o espaço de um dia, o do ser humano em torno de um século, certos vegetais como as séquoias atingem mais de quatro milênios, numerosos planetas e estrelas dez billhões de anos.

 

Todo o que se manifesta em uma condição material tem um potencial mais ou menos longo, e portanto com certeza um fim, natural, sem que haja intervenção de qualquer tipo de sanção.

 

10 /É verdade  que o homem reencarna sempre  como homem, a mulher como mulher e não podem retornar como animal, vegetal ou mineral ?

 

Resposta : Em que o ser se reencarna seja considerar do ponto de vista material, ou a morte ser um fim definitivo, é uma pergunta sem interesse do ponto de vista espirital :

 

Se ele  se identifica como ser espiritual, deve então considerar os estados de vida encarnados não como uma successão cronológica (o tempo, formando par com o espaço, é uma dimensão material) mas como uma conseqüência de suas necessidades a satisfazer.

 

O que importa parao ser é a causa de sua encarnação dentro da necessidade de ampliar sua sua consciência, não a anterioridade de estados que atravessou no percurso das encarnações.


É sempre indispensável ao « marcassin ( iniciante )» possuir um bom « sanglier ( membro regular ) » para ajudá-lo à apreender os conceitos elementares, mas sutis.

 

Regras e Direito Druídicos :

 

Tradicionalmente aplicáveis em todas as nações que se reivindicam celtas

 

Pergunta : Eu quero conduzir minha vida segundo os preceitos druídicos, desejo participar à certas manifestações da  Ordem des Druidas sem entretanto tornar-me membro, isto é possível ?

 

Todas as pessoas que desejem simplesmente frequentar uma assembléia para aprender à melhor conhecer a Tradição dos Druidas podem se associar conforme seu desejo à certas atividades da Ordem, certas cerimônias ou reuniões por exemplo, sem se preocupar com outra medida que não seja de não perturbar suas atividades.

 

Para esta finalidade, elas serão consideradas como credimaci (singular credimacos), quer dizer simples observação profana e laica da Tradição dos Druidas. ( Elas não poderão evidentemente em nenhum caso pretender tornar-se Druida, Bardo ou Vate)

 

Elas pertencerão ao Círculo dos Credimaci, de onde elas poderão participar das cerimônias.

 

Em caso de falta de qualquer sacerdote, elas poderão, como excessão, conduzir um Círculo de devoção local dentro do quadro de um Círculo profano.

 

Não poderão requerer pagamento para isto.

 

Dentro das atividades onde haja aluguéis a pagar, por exemplo a locação de uma sala, uma refeição conletiva, ou impressos, etc. cada credimacos deverá pagar suaa participação à preço de custo.

 

Não haverá « busca » dentro do quadro de cerimônias.

 

Para tornar-se credimacos, é suficiente contactar o Secretariado Geral ou os responsáveis de uma das assembléias da Ordem para começar o procedimento de integração.

 

Pergunta : Quem pode participar da Ordem dos Druidas ?

 

Resposta : Toda pessoa maior de idade e possuidora de todas suas faculdades mentais. Sob reserva que ela seja tolerante, não violenta e de espiríto aberto. Ela pode ser apadrinhada ou apresentar sua candidatura segundo os usos da assembléia local correspondente.

 

Em uma primeira etapa, ela será progressivemente integrada à uma Fraternidade não sacerdotal. Em função de seu avanço dentro dos estudos e de suas proprias aptidões e motivações verificadas, ela poderá ascender ao Colégio Sacerdotal

 

Pergunta : Como se pode ser  admitido como Vate, Bardo ou Druída (Colégio Sacerdotal) ?

 

Resposta : Aqueles que, dentre os estudantes, apresentarem a motivação e as qualidades, aptidões e conhecimento requeridos, podem ser chamadas à se consagrar à estas funções, suob a proposição de seu Eubage / Sanglier e após deliberação do Conselho dos Druidas.

 

Pergunta : Quais são as diferenças entre os Vates, Bardos e Druidas ?

 

Resposta : Únicamente quanto ás competências estruturais ao nível deste Mundo, mas nenhuma do ponto de vista do Sagrado, em todo caso eles são Sacerdotes com os mesmos deveres de servir o Divino e a Egrégora dos Druidas. Eles se devem solidaridade mútua, respeito ao seio da mesma e única fraternidade.

 

Pergunta : Vates, Bardos e Druidas possuem prerrogativas particulares dentro das Ordens regulares sacerdotais ?

 

Resposta : Todas as pessoas consagradas possuem dignidade sacerdotal igual. Suas prerogativas particulares são para :

 

Os Vates, de poder celebrar todos os rituais, exceto as consagrações, na falta de Bardo ou de Druída, ou si estes o deleguem de oficiar,

 

Os Bardos, que além do mais, têm a responsabilidade de ensinar.

 

Vates et Bardos pertecem ao Anti Sedon e participam à gestão presente de sua Ordem ou Colégio.

 

Os Druidas e Ban-Drui, que além das prerrogativas precedentes, podem acolher os novicos à Ordem em acordo com os Ver Druis e Ver Ban Drui.

 

Os Ver Druis (Ri Drevon), Ver Ban-Drui, que sómente eles têm o direito de consagrar outros Sacerdotes. Eles podem ser admitidos ao Conselho dos Sábios por decisão unanime dos membros deste.

 

Os Ver Druis Gutuater, (Ri Drevon Guduaer) e Ver Ban Drui Gutuatrix, que são eleitos Superiores de uma Ordem ou Colégio. Eles por direito fazem parte do Conselho dos Sábios

 

Todos estes constituem o Sedon, e dirigem de forma coletiva sua Ordem ou Colégio, decidem as consagrações e elevações dos membros de sua Ordem.

 

 

Pergunta : Certos movimentos que se apresentam como Ordens ou Colégios Druídicos concedem, depois de um certo tempo, o tìtulo de Vate (Ovate), Bardo ou Druída à toda pessoa que tenha recebido cursos vendidos por correspondência, tem isto algum valor ?

 

Resposta : Isto não tem valor de modo algum e é contrário à Tradição Primordial, referência dos Druidas. Além disso, uma parte do conteúdo destes cursos é talvez da mais suspeita, geralmente mais « new age » que conforme à Tradição dos Druidas.

 

Por outro lado, em geral, não há nenhum contrôle sobre os conhecimentos. Assim, certas pessoas que tenham pedido estes cursos para saber do que constam, poderão ser vistas mesmo contra a sua vontade e seu conhecimento como pertencentes à estes movimentos !

 

Sem contar  que o aspecto frequentemente mercantilista destes grupos que não tem nada a ver conforme à Tradição dos Druidas.

 

Nós vós aconselhamos a evitar todo movimento com esse respeito.

 

Pergunta : Uma vez que pertençamos á Ordem dos Druidas, poderemos sair quando quisermos?

 

Resposta : Sim ! A qualquer momento, é só avisar o Superior. O demissionário perde automaticamente todo o poder sacerdotal que tenha podido receber dentro do movimento do qual é demissionário.

 

Ele não pode se prevaler de seus antigos laços. Com efeito, a Egrégora Druídica é única : se vós a deixardes ou fordes banidos, não podereis mais pretender ter vossos direitos reconhecidos. Vossos deveres vos mantem ligados pelos votos que havedes feito ao receber vossa consagração.

 

Pergunta : Pode-se ser excluído da Ordem dos Druidas ?

 

Resposta : Sim. Toda pessoa que enfrentar voluntáriamente a Regra de sua Ordem, não se conformando às Regras da Carta das Ordens Conventionadas conformes à Tradição dos Druidas (OCCTD), da Ordem dos Druidas (OD), ou enfrentar um Geis (interdição disciplinar) pode ser banido por um tempo mais ou menos longo, sem outra forma de procedimento que a deliberação do Conselho Sagrado dos Sábios.

 

Se ele(a) é uma pessoa consagrada, passará ser afastada*. (*Quer dizer perderá seus Direitos de pessoa consagrada, mas será mantida por seus deveres)

 

Chamada à Regra de 29 agosto de 2004 (E não novo Regulamento, no que concerne à Tradição)

 

Art 20040829-01

 

Toda pessoa que saia e renegue seu consagrador ou seu iniciador sem razão legitima aprovada pela CSSC perde automaticamente o benefício de sua consagração ou de sua iniciação. Ela não pode mais se prevalecer, nem de sua iniciação quanto de sua permanência na Ordem dos Druidas.

 

Art 20040829-02

 

 Os membros do CSSC não podem pertencer à outra Ordem além da Ordem des Druidas / Druid Order da Tradição Hiperbórea.

 Eles podem se encontrar com quem quiserem de outras obediências, mas à tìtulo privado sómente e sem conexão com a O.D.

 

Art 20040829-03

 

Não é suficiente ser reconhecido Grande Druída ou Ver Ban Drui para pertencer ao Conselho Sagrado dos Sábios de Celtia.

Deve-se ser aceito por unanimidade pelos outros membros deste Conselho.

 

 

Art 20040829-04

 

Ninguém pode ter responsabilidades dentro da Ordem dos Druidas, e por conseqüência no Conselho Sagrado dos Sábios de Celtia se não renunciar àqueles que possuia dentro uma outra obediência.

 

Art 20040829-05

 

Todo membro da CSSC que desobedeça à Regra no seu artigo 20040829-04 não pode nela permanecer.

 

Pergunta : Quais são os delitos e infrações que podem motivar a exclusão de uma Ordem ou Comunidade Druídica ?

 

Resposta : Sem que esta lista seja exaustiva, são:

 

1/ A intolerância, (sectarismo, racismo, xenofobia, sexismo, e misogenia).

 

2/ A calúnia. Isso quer dizer o fato de propagar falsas informações para denegrir injustamente outras pessoas. O fato é agravado quando prejudica à pessoas consagradas.

 

3/ O perjúrio, quer dizer não manter a palavra.

 

4/ Transgressão de um Geis maior. Exemplos : Consagrar quando não possuimos (mais) a condição sacerdotal. Consagrar un Vate, Bardo ou Druída em tempo de Samain. Neste caso, a exclusão atinge tanto o consagrante como o consagrado que o saiba. O receptor que não o saiba terá seu caso examinado pelo Conselho dos Druidas em primeira instância, de cujo veredito é possível apelar diante do Conselho Sacrado dos Sábios.

 

O consagrador e as pessoas já consagradas que participem por vontade própria às cerimônias semelhantes serão também sancionados automaticamente sem outra forma de procedimento por um período de duração mínima de três anos sem que este período possa ser diminuído.

 

5/ A impostura, onde o delinquente age por dolo em pretender ter as qualidades que lhe são impróprias. (Falsos sacerdotes principalmente) 

 

6/ A violação da Harmonia, a usurpação, onde o delinquente pretende ter  a função de uma pessoa regularmente em função e usurpa ou tenta à usurpar os direitos desta por meio de intriguas.

 

Os artigos 4, 5 e 6 são mais comumente conhecidos pelo nome de « os três pecados do Druída » que todo Druída digno deste  nome deve absolutamente evitar. Todos estes provocam expontâneamente a sanção sem possível apelação.

 

7/ A felonia, quer dizer jurar ao trair os membros da Ordem ou em causar-lhes dano voluntáriamente.

 

Estes dois últimos delitos são sancionados pelo afastamento por toda vida dentro de todas as Tradições. Sómente a retratação honrável pública e sincera pode remir a sanção, depois de um tempo de provação mais ou menos longo.

 

8/ A trama e / ou a cumplicidade com os autores dos delitos precedentes podem causar a seus autores a sanção de uma exclusão mais ou menos longa pelo Conselho dos Druidas de sua Ordem ou Colégio, com possibilidade de apelação diante do Conselho Sagrado dos Sábios.

 

Pergunta : Como se passa a aplicação de uma condenação ?

 

En geral, ela é oral, tanto ao interessado quanto aos membros das respectivas Comunidades. Ela é executada imediatemente. Quando é possível, é a pessoa que foi atingida que realiza a locução.

 

Note que a pessoa afastada conservs seus deveres sacerdotais durante a vida, com respeito ás vinculações que ela a assumiu ao serviço do Divino e do Sagrado. Se ela faz retratação honorável real e sincera, ela poderá ser reintegrada dentro de seus Direitos sacerdotais depois de um período de provação mais, ou menos longo.

 

Pergunta : Qualquer um pode se autoproclamar Druída (Vate, Bardo) ?

 

Resposta : Não, absolutamente não ! Não obstante, dentro uma Comunidade onde haja falta de qualquer pessoa consagrada e regular, pode ser designada uma pessoa que respeite a Tradição que tome lugar para administrar os assuntos pendentes e celebrar as cerimônias do calendário.

 

Ela não poderá consagrar ninguém (exceto por delegação especial por um Druída sacerdotal) e deverá contactar uma Ordem regular para regularizar a situação com o aval do Conselho Sagrado dos Sábios.

 

Quando da falta de sacerdote, ela celebrará um ritual, portará o tìtulo de Mestre de Cerimônia e deverá dentro deste quadro ter sua autoridade respeitada como a de um sacerdote regularemente consagrada.

 

Pergunta : Uma (ou mais pessoas) demissionária(s) ou excluída(s) podem(rão) fundar um movimento Druídico sacerdotal ?

 

Resposta : Não, absolutamente não ! A Regra é rigorosa e incontornável. Além disso, pode uma pessoa reivindicar uma Tradição enquanto a desprezamos para fundar qualquer estrutura da mesma?

 

Por outro lado ela(s) é(são) totalmente livre(s) para fundar uma associação ou movimento profano que não revendique pertencer à Tradição Druídica ou à Tradição Primordial.

 

Notemos que numerosas pessoas demissionárias são en realidade demissionadas, quer dizer que, devido á gravidade dos feitos que lhe são reprovados, eles são aconselhados a sair da comunidade por sua própria vontade sem que outro procedimento se faça necessário.

 

Em caso de recusa, o Conselho dos Druidas ou por apelação, o Conselho Sagrado des Sábios, poderá sancionar e pronunciar a exclusão ea o afastamento do caso recorrente. Somente um Druída Sacerdotal demissionário com a concordância de seu Sedon para fundar uma Ordem ou Colégio Sacerdotal independente deste de quem é originário pode fazê-lo.

 

Pergunta : Posso estar dentro da Tradição Druídica e pertencer ao mesmo tempo à uma outra Tradição ou obediência ?

 

Respostas :

 

Sim,  se esta obediência ou Tradição é tolerante, não violenta e não proselitista, para as pessoas não consagradas, sob condição de não exercer função de responsabilidade dentro de uma e outra obediência. Se esta obediência ou Tradição é intolerante e não-proselitista, a pessoa deverá se policiar para não fazer proselitismo dentro da Ordem e à desobedecer às injunções intolerantes de sua obediência de origem.

 

Não para as pessoas consagradas, que devem escolher entre as duas em qual continuarão ativas. Elas devem se colocar em estado « dormente » dentro da outra.

 

Não formalmente para os adeptos militantes da Tradição ou obediência sectária proselitista. Deve-se  notar que as estruturas que não sejam Druídicas aplicam estas medidas de bon senso elementar. Assim, por exemplo, nenhum padre ou prelado de qualquer tradição cristã, judaica ou muçulmana que seja podet ser consagrado dentro da Ordem como Vate, Bardo e Druida sério e acreditável, devido á obediência sem falha que desejam à seus adeptos as hierárquias destas Tradições.

 

Isto não impede nde forma alguma possuir ligações fraternais com todo indivíduo, de qualquer Tradição ou obediência da qual seja originário, sob reserva que sua atitude seja sempre tolerante, não-violenta, não proselitista e praticante da compaixão.

 

Pergunta : Como é designado o Superior de uma Ordem ou Colégio ? (Ver Druis Gutuater, Ri Drevon Guduaer, etc.) ?

 

Resposta : Por eleição pelo conjunto do Conselho dos Druidas da Ordem. Em caso de contestação, pode ser feito uma apelação diante do Conselho Sagrado dos Sábios.

 

Pergunta : Quanto tempo dura sua função ? Como chega ao  fim ?

 

Resposta : Ele é eleito para toda a vida. Ele pode abdicar, ou pode ser rebaixado em caso de transgressão consciente grave da Regra da Ordem ou de um Geis maior.

 

Neste  caso, ele será julgado por seus pares, com possibilidade de apelação diante do Conselho Sagrado dos Sábios. El será afastado de suas funções sem outra sanção no caso de perda de suas facultdades mentais.

 

Pergunta : Quem pode consagrar um Sacerdote ?

 

Resposta : Únicamente um Grande Druída (ou uma Grande Ban Drui) sacerdotal superior(a) de ums Ordem regular pertencente ao Sagrado Colégio, procedendo em linha direta de uma linhagem discipular regular, de acordo com o CSSC e seu Sedon (Conselho dos Druidas de sia assembléia).

 

Ele pode excepcionalmente delegar esta função à tìtulo provisório a um colaborador ou um substituto segundo a Regra própria de sua Assembléia. (Eles devem entretanto ter recebido a sagração Sacerdotal)

 

Pergunta : Quais são presentemente  estas pessoas para a França ?

 

Resposta (Em 01/01/2002) : São, por Ordem de idade :

 

Sua Serenidade muito Venerável /I\ Gwern Maha, para Os Ver Ban Drui Sacerdotais ( S.S.T.V /I\ Rosmerta, a Decana da l’OD tendo requerido o beneficio do privilégio de sua idade e se retirado, nós desejamos que ela termine esta encarnação  em Harmonia.)

 

Suas Serenidades  muito Venerável /I\ Goff Ar Steredennou, /I\ Vosegus, /I\ An Habask, /I\  Lo Skiant, /I\ Kadith  para Os Ver Druis

 

Os Superiores que possuem qualidade sacerdotal reconhecida segundo a Tradição Hiperbórica Original, como aqueles da l’Ordem dos Druidas da Irlanda ou da Druid Order (não confundir com a OBOD e suas sucursais como a ODET entre outros, que não tem nenhuma legitimidade dentro aa Tradição dos Druidas)  para os membros brasileiros destas obediências.

 

Seus eventuais colaboradores e substitutos confirmados.

 

Deve-se precisar que os movimentos mutualistas, se eles se revendicam a Tradição dos Druidas, não reinvindicaram jamais o carácter sacerdotal (Ramo mutualista Henri Hurle, Ordens da 3eira  condição) e por conseqüência lógica não podem portanto consagrar.

 

Os movimentos « néo-Druídicos » ou  celtas são profanos e não possuem nenhuma légitimidade dentro da Tradição Sacerdotal dos Druidas. Por outro lado, em respeito a  ética da Tradição, eles podem ser reconhecidos como assembléias fraternais de crédimaci e participar desta forma às cerimônias.

 

Pergunta : Quais são presentemente  estas pessoas para o Brasil ?

 

Resposta (Em 01/05/2007) : Neste momento, apenas o Mestre de Cerimônias Uxelorixs se encontra autorizado a representar a O.D. na função de Mestre de Cerimônias. Toda a correspondência referente ao funcionamento da O.D. no Brasil, representada pela Assembléia da Tradição Druídica do Brasil, deve para ele ser encaminhada, para o endereço druidas@globo.com .

 

Pergunta : Como os Druidas sacerdotais consideram uma pessoa que faça parte de uma Ordem ou associação que se pretenda  Druídica, mais não proceda  diretamente de uma linhagem regular que a tenha reconhecido ?

 

Resposta : Há muitos casos :

 

1/ A pessoa sabe que, se ela não pertence à uma estrutura regular, não pode portanto participar de uma celebração litúrgica da Tradição Regular Sacerdotal a não ser à tìtulo profano (como simples credimacos).

 

2/ Ela é de boa fé, tendo sido abusada pelos responsáveis desta estrutura : neste caso ela deverá sair desta estructure e  regularizar sua adesão junto à uma Ordem ou Colégio regular, onde ela poderá ser reconhecida segundo suas aptidões.

 

3/ Ela é responsável, e é criadora de uma tal estructure herétia : ela é afastada se ela foi consagrada e  não pode participar de nenhuma celebração.

 

Pergunta : Uma pessoa não consagrada pode celebrar uma cerimônia litúrgica Druídica ?

 

Resposta : Não, absolutamente não ! no que lhe concerne aos cerimoniais litúrgicos da assembléia local! Uma tal prática é sacrilégio. Ela pode e deve por outro lado respeitar da melhor forma a ritualistica doméstica do serviço pessoal e familiar de devoção. (Ver 12 acima)

 

Pergunta : Eu não sou consagrada(o), posso criar um grupo que observe a Tradição dos Druidas ?

 

Resposta : Com certeza, se observar de verdadeiramente observar a Tradição, e de não abusar no que quer que seja em pretender ser consagrada. Deverá saber que um simples credimacos sincero reforça em muito mais a Egrégora dos Druídas por seu serviço de devoção sincero que um impostor pretencioso que só faça o que dá na cabeça. Estes grupos de devoção e seus credimaci podem evidentemente recorrer à toda pessoa consagrada para ajudá-los à se expandir.

 

Um tal grupo não poderá se chamar Ordem Druídica ou Assembléia Druídica, mas poderá ser reconhecida pela Ordem dos Druidas como Círculo Local de Credimaci (Ver 12 acima) Confraria laica, acordada à OCCTD se ela respeita  rigorosamente a Tradição Primordial depois do exame de seu caso particular.

 

Pergunta : Eu gostaria de conhecer as textos fundadores do druidismo, de quando datam eles ?

 

Resposta : A satisfação desta busca não presenta nenhum interesse para vossa tomada de consciência. Com efeito, é necessário que vós sedes capazes de ler e compreender as mais velhas escrituras para que isto apresente um interesse real, do ponto de vista puramente histórico sómente.

 

 Com certeza, alguns se contentam com uma tradução. Mas como estar certo de que o tradutor traduziu fielmente ? Por outro lado, em certas épocas, a Tradição era feita oralmente, o que não retira em nada sua originalidade. Uma Tradição oral bem feita é bem mais confiável do que textos duvidosos, que poderiam ser falsificados.

 

 Em Verdade, as Ordens e Colégios Sacerdotais não vos trarão jamais uma verdade toda feita que deveria se impor. Mas eles se esforçarão para vos dar as ferramentas necessárias à coleta por vós  mesmos dos elementos que vos farão tomar consciência, respeitando aquilo vós sois dentro de vossa integridade.

 

 Verifiquemos que muitos dos mestres que servem hoje em dia de referência para o bem das religiões : Jesus, Siddharta Gautama (Buddha), entre outros, jamais escreveram nada, seu ensinamento era inteiramente  oral, o que não diminui em nada seu valor.

 

 Nós possuímos por outro lado uma predileção pela palavra, sempre viva, sem entretanto evitar a escrita, imutável e morta em sua essência. O que levou a certos inconseqüentes a dizer que os Druidas não escreviam, o que sempre foi falso em toda época.

 

De outra parte, deve-se ser consciente de que numerosos escritos de Druidas não são vulgarisados e são reservados para o uso exclusivo das assembléias da Ordem.

 

Enfim, é conveniente saber que os Druidas não fazem druidismo, doutrina romântica fantasista um pouco sectária e xenofoba que surgiu no século XIX e ainda conta com adeptos que reivindicam ser de nossa Tradição dos Druidas, mas alterando-a para fins mais políticos que espirituais

 

Pergunta : Pode-se pretender Druída, Ban-Drui, ou qualquer outra pessoa consagrada e ao mesmo tempo ser xamam ou feiticeiro(a) ?

 

Resposta : Não, absolutamente não ! Se encontrardes tais pessoas, são com certeza impostores. Previnam-nos e se eles abusaram de vossa confiança pedindo-vos dinheiro, portai queixa junto ao Oficial de Polícia de vossa região.

 

Pergunta : Ouvi falar de uma via vermelha e de uma via azul dentro do Druidismo. Qual é a diferença entre elas ?                                                                                                                                             

 

Resposta : Se trata de uma convenção mais ou menos local para expressar noções chamadas de outra forma em outros lugares.

 

Pergunta : Eu li que existem muitas categorias de Druidas. O que existe na realidade ?

 

Somente os membros de assembléias regulares de Sacerdotes como aqueles pertencentes à OD / OCCTD, respeitando estritamente a Tradição Hiperbórica, possuem legitimidade à se pretender Druidas.

 

Alguns, que não possuem legitimidade para se pronuciar, mas possuem interesses pessoais à propagar por meio de tais falsas informações, pretendem assim que sempre houveram Druidas de «geração expontânea ». Não existe mais geração expontânea  dentro de nossas Ordens do que na física.

 

 E verdade que por afinidade, alguns se sentem atraídos por nossa Tradição sem dela depender. Se sua vocação é justificada, eles devem com certeza se fazer reconhecer pelos Druidas regulares já existentes da Ordem se  quiserem receber o Sacerdócio.

 

Por outro lado, eles são livres para se reunir com outras pessoas para partilhar sua vida, respeitando a Tradição Primordial, referência dos Druidas. Assim que se reunam para meditar, honrar e invocar o Divino, eles participarão da Egrégora da Assembléia Druídica, por pouco que façam com dignidade e veracidade. Se for encontrada uma pessoa para conduzir  tal assembléia, ela será o Mestre de Cerimônia. Mas deverá se anular diante de todo sacerdote.

 

 Qualquer um que se autoproclame Druída sem ser reconhecido e consagrado segundo a Regra por seus pares comete incontestávelmente uma impostura.

 

Pergunta : Outras vias de Sacerdócio existem para viver segundo os princípios da Tradição Espiritual dos Druidas ?

 

Resposta : Sim, são elas :

 

As Ordems de cavalaria iniciáticas, onde podem se encontrar as pessoas cuja  vocação e a condição social é de defender e administrar.

 

As fraternidades e confrarias, como certas obediências iniciáticas maçônicas, mais particularmente destinadas aos produtores, artistas, artesãos e negociantes.

 

Os membros regularmente iniciados destas assembléias podem participar de pleno Direito às cerimônias celebradas pelos Sacerdotes.

 

Outros adeptos admitidos de pleno Direito entre nós, os « gentis » que respeitam a Sabedoria Primordial (Ver outros sites da Tradição Primordial )

 

Vida prática

 

Pergunta : Quais são os tabus alimentares dos Druidas ?

 

Resposta : Nenhum ! Por isso busquem utilizar uma alimentação sã e equilibrada adaptada à vossa personnalidade. A tendência é por isso principalmente vegetariana.

 

Pergunta : Os Druidas ou outros pessoas consagradas são restritas ao celibato ?

 

Resposta : Não ! Elas têm as mesmas escolhas que os outros cidadãos quanto á essa matéria : Elas podem ser celibatárias ou viver em casamento segundo sua aspiração pessoal.

 

Pergunta : Qual é a posição dos  Druidas em termos de sexualidade, ou em matéria contracepção?

 

Resposta : Nós deixamos cada um livre e responsável por suas ações, recomendando o mais profundo respeito ao outro. Ningém é obrigado à conduzir-se de qualquer forma pré concebida que seja, nem a julgar quanto a este domínio.

 

Compete a cada um apreciar a harmonia com o Todo no que se refere à cada um de seus pensamentos ou ações nesta matéria. Por isso, somente a união de uma mulher e um homem pode ser considerada como suscetível de ser Sagrada, sob condição que eles sejam puros de corpo como de espírito e em harmonia com o Todo.

 

No que concerne à sexualidade ela mesma, ela é absolutamente necessária para a expansão pessoal de cada um, dentro da medida em que permanece uma comunhão harmoniosa, unindo dentro de um amor illimitado tudo aquilo que vive dentro do Universo.

 

É necessário que seu exercício, natural, seja uma arte em que se respeite nos três planos (Divino, Espiritual e Físico), o outro parceiro, seus cinco sentidos, sua doçura, permitindo assim à cada parceiro a comunhão dentro de uma mesma poesia.

 

Esta é uma fonte mágica inesgotável de Criação, harmonisação, de renovação e de saúde (tanto Física como Mental) se ele é vivida dentro deste espírito. 

E desta forma que ensinam também entre outros o verdadeiro tantrismo, o Tao…

 

Ela deve ser vivida segundo o mais alto grau de consciência possível de cada um.

 

Pergunta : A sexualidade fora do casamento é condenada pela Tradição Primordial ?

 

Resposta : Não, como para a Pergunta precedente,  não devemos de forma alguma condenar quem quer que seja no que se refere a este assunto.

Além do mais, dentro da Antiquidade e dentro dos países celtas, existia um costume frequente de « casamento » com a tentiva de um ano, reconovável nove  vêzes para os casais sem fihos.

 

Da mesma forma, o « amigado com fé casado é » era perfeitamente admitido para as pessoas livres de todo laço conjugal. Lhes é recomendado agir dentro do maior respeito mútuo possível.

 

Pergunta : A pessoa que eu amo pertence à uma outra confissão ou obediência, isto é compativel com minha ligação com a Tradição dos Druidas ?

 

Resposta : Não existe nenhuma incompatibilidade eo que concerne a nossa Tradição, mas a reciprocidade é verdadeira ? Certas confissões são proselitistas e intolerantes, compete a voces dois analisar a situação.

 

Pergunta : Eu sou divorciado(a), posso sempre ser admitido dentro da Comunidade Druídica e participar das cerimônias?

 

Resposta : Sim, com certeza ! Cada um é livre qunto ás suas relações afetivas e não será julgado por tais critérios.

 

Pergunta : Um(a) homosexual pode  ser consagrado(a) ou fazer parte da l’Ordem dos Druidas ?

 

Resposta : Esta particularidade não constitue um critério determinante que permita o acesso ou a recusa ao sacerdócio. A pergunta é portanto sem sentido, os Druidas não admitem nenhuma discriminação ou segregação.

 

Pergunta : Qual é a posição dos Druidas no que se refere à pedofilia ?

 

Resposta : Nós condenamos toda agressão, sexual ou outra, particularmente aquela contra as crianças que, além de denúncia imediata ás autoridades judiciairias penais civis, é uma causa de exclusão incontournável  estrita.

 

Pergunta : Não sou de origem européia, posso aderir à Tradição dos Druidas, ou ser consagrado(a) ?

 

Resposta : Sim, sem restrição. Para isso, ser-vos-á pedido refletir se não seria mais vantajoso seguir a Tradição Primordial segundo o costume original de vosssos ancestrais e se vós já o havedes feito. Depois desta reflexão, sereis admitido dentro da Comunidade com o mesmo tìtulo, com os mesmos deveres e os mesmos direitos que os originários das nações européias originais. Deve-se saber que a família humana é única e indivisível por toda Terra. Mas seus membros podem possuir orientações diferentes.

 

Pergunta : As mulheres têm os mesmos direitos que os homens dentro das Ordens Druídicas regulares ? Podem elas pela Ordem ser responsáveis ?

 

Resposta : As mulheres têm absolutamentw a mesma consideração que os homens. Nós consideramos por outro lado, que os sexos são absolumente complementares no service do Divino. Eles podem ocupar as mesmas responsabilidades que Os homens em todos os níveis segundo suas capacidades.

 

Certas Ordens ou Colégios possuem neste mesmo momento Ban Drui à sua frente. Certas associações e indivíduos pseudo-Druídicos se caracterizam por sua misogenia, traço de caráter como esse é um sinal significativo de sua flagrante impostura : eles não podem pretender respeitar a Tradição dos Druidas. Fuji deles e denunciai-os !

 

Pergunta : Preciso abandonar o cristianismo, o islã, ou o judaismo de meus ancestrais para viver mais espiritualmente e me converter ao druidismo ?

 

Resposta : Não, não existe conversão entre nós, em nenhum caso deveis renunciar à vosso passado e ao de vossos ancestrais. Salvo, entretanto, se desejardes assumir o Serviço do Divino tornando-se Sacerdote dentro da nossa Tradição (O que vos demandará numerosos anos de estudos e de esforços com um resultado incerto) devereis integrar este passado e sublimá-lo, o que não é um trabalho à altura de todos !

 

Em todos os outros casos, antes de abandonar o navio porque está entrando água ou tomou um caminho errôneo, permaneça e tente suprir suas carências, principalmente em matéria de hierárquia. Se a obediência àquela a que pertenceis é sectária, misógena, hegemînica, terrorista, proselitista, etc, com compaixão daqueles que compartilham vossas convicções, reformai-a ! Reconduzi-a à uma tomada de consciência maior.  Não tenhais medo de sacudi-la de forma justa, com compaixão daqueles que a dirigem de maneira pouco espiritual par meio de dogmas duvidosos e à priori inconseqüentes.

 

Se as religiões divisam par seus dogmas e terminologias em « ismo », a verdadeira Espiritualidade, pelo sentido das responsabilidades e discernemento que necessitam, rassemble au contraire todas as boas vontades. Mais sejai vigilantes !

 

Tentar acabar com aqueles que vos são hostis é uma perda de tempo inútil, que muitas vezes comtempla a destruição daqueles que se comprazem neste exercicio que logo nele se empenham.

 

É mais lúcido tentar fazer para si… os amigos, escutando-os e tentando compreendê-los e vos fazer compreender !

 

Se eles persistem em sua hostilidade e recusam ante de tudo o diálogo convosco, tomai a vossa distância sem ódio, ele não estarão ainda em um nível de consciência suficiente para progredir. Sejai ainda prudentes, não vos deixeis destruir, vosso sacrifício seria inútil e os confortaria na perseguição de suas exigências sobre os outros.

 

Colocai-vos longe do alcance de seus malfeitos, desarmai-os se for necessário e se podeis fazê-lo, mas não os humilheis, nem procurai erradicá-los, porque nesse caso vos rebaixarieis ao seu nível de consciência.

 

E se eles vos pedirem  ajuda porque sua inconseqüência os levou  à uma situação difícil, deveis ajudá-los, dentro da medida de vossa capacidade, com compaixão, mas também com adequação : Deve-se com certeza ajudar aquele que vacila, mas ele também deve aprender à caminhar por si mesmo, e não deixá-lo ser sssistido pela Eternidade..

 

O assistencialismo perpétuo é tanto nocivo para aquele que o recebe quanto para aquele que le propaga. Os dois estacionam em vez de progredir, um se satisfazendo na função de doador, o que lhe dá uma ilusão de poder ;  o outro, aquele que recebe, ao recusar por preguiça, a oportunidade de se tornar por sua vez alguém que possa ajuadr outro ser em difficuldade.

 

Não buscai portanto portanto vos converter, muito menos converter pela força: Mosntrai antes o bom exemplo dentro em cada ato de vosso caminho consagrando-o com humildade ao Divino da forma mais justa e a mais respeitosa por toda a vida, dentro da maior compaixão, em harmonia com o Todo.

 

Estejai certo que vivereis de maneira mais espiritual agindo assim.

 

E o vosso exemplo será ben mais convincente que todos os discursos e sermões.

 

Pergunta : Os Druidas são inimigos das religiões monoteístas ?

 

Resposta : Os Druidas não são inimigos de ninguém e consideram todo homem como seu irmão. O monoteismo não é nada além de uma percepção dogmática dentre outras, assim como o panteísmo ou o politeísmo, de uma realidade bem difícil de apreender pela maioria das pessoas. Cada um é livre e responsável em sua maneira de conceber o mundo. Bem louco é aquele que pretende se impor aos outros !

 

 A Cosmogonia dos Druidas e sua Filosofia Última é muito aberta sobre esse assunto. No que concerne a intolerância, da qual testemunham contra nós certos extremistas cristãos, desrespeitando o ensinamento de tolerância e de compaixão dos evangelhos, eles deveriam se ater à Augustin d’Hippone, que têm como santo e doutor da Igreja, que escrevia no 4o. Século :

  « O que chamamos hoje de religião cristã existia entre os Antigos, e não fazia falta no início da humanidade.  Desde quando o Cristo incarnou, a verdadeira religião, já existente, recebeu o nome de cristã. »

Eles deveriam por outro lado perceber que sua liturgia é mais inspirada pela Tradição dos Druidas que por qualquer outra, principalmente aquela de que certos contendores xenofobos e racistas se acreditam uma « raça eleita », de cuja « terra prometida » é sempre espoliada de seus legitimos proprietários histoóricos, e de quem Marcos conta que o mítico Jesus teria dito : « Isaïas alegremente profetisou de vós, hipócritas, quando escreveu : Este povo me honra com seu lábios, mas seu coração está longe de mim. Vão é seu culto, porque eles ensinam como doutrina os preceitos humanos (Isaïas 29 :13) vós abandonais os mandamentos de Deus para vos apegar à Tradição dos homens » (Marcos 7, mas também Mateus 15, onde Jesus intervem para o proveitode uma « pagã » (por ser  cananéia = não judia) da qual ele reconheceu a grande fé. Note que o Jesus dos Evangelhos jamais fez discriminação a respeito dos « pagãos »)

 

Pergunta : Saint Patrick é considerado como um personagem maior do mondo celta, como os druidas o consideram ?

 

Resposta : Patrick, do qual certos ações intolerantes e violentas não condiziam com a santidade, se é indubitavelmente de origem celta, não é nada infelismente além do autor de uma impostura dogmática, que traiu a Tradição original dos Druidas, para subtituí-la por uma doutrina intolerante e sectária da qual a Irlanda sente ainda os efeitos em nossos dias.

 

Pergunta : Há alguns anos, um programa de televisão francesa apresentou os Druidas como relacionados com a extrema direita. O que é isto verdadeiramente ?

 

Resposta : Se os grupos apresentados eram realmente extremistas, não eram membros membros reconhecidos da Egrégora Druídica.

Vários dentre eles viram sua candidaturas à OCCTD e à OD rejeitadas principalmente por causa de sua atitude. Deve-se saber que a Tradição dos Druidas não é submetida à nenhum partido ou facção política e defende o respeito de toda a Vida, particularmente a dignidade dos seres humanos quaisquer que sejam  Por outro lado, os credimaci são livres de sua vinculação política, sob condição de não confundi-la com sua vinculação espiritual, e de não militar para as doutrinas intolerantes, racistas, xenófobas, sexistas, violentas, proselitistas.

 Além disso, s Druidas, assim como muitos outros, desejam que as autoridades civis adotem leis que proibam de se servir de símbolos religiosos para todo uso político ou comercial.

 

Pergunta : Em 1995, um candidato às eleições presidenciais francesas reivindicou ser Druída, era isso verdade ?

 

Resposta : Esta candidatura era uma parfeita impostura, porque um Druída, pertencente à primeira condição social celta, sacerdotal, não pode ser candidato à um poder temporal ou exercê-lo, relevância da segunda condição social, aquela dos defensores e administradores. Convem portanto não levar a sério tais candidaturas à qualquer posto político que seja.

Uma pessoa consagrada deve abandonar seu sacerdócio se ela quiser apresentar sua candidatura para exercer um tal mandato e não dizer que o é, para sua campanha eleitoral.

 

Pergunta : No livro de Michel Raoult « Os Druidas, as sociedades iniciáticas contemporâneas » certas ordens ou grupos reivindicam un caráter sacerdotal, outros não. Este caráter sacerdotal é garantidamente sério ?

 

Resposta : Em seu excelente livro, o autor, que é um dos nossos, por dúvida da honestidade intelectual e respeitando a opinião dos outros, comprometeu-se em citar o que cada um lhe indicaou com respeito à sua ordem ou movimento. Aqueles que não reivindicam este caractère sacerdotal quando não o são, são honestos.

 

Por outro lado, todos aqueles que se vangloriam de o possuirr estão talvez dentro da impostura. Com efeito, muitos que não são mais do que grupinhos de geração mais ou menos exspontãnea,  reivindicaram abusivemente um caráter sacerdotal para o qual eles não apresentam nenhuma legitimidade real e fundamentada.

 

Com efeito, somente os membros da OD, respeitando a Carta ética da OCCTD sob a égide do Conselho Sagrado dos Sábios é que apresentam toda a garantia de seriedade.

 

E com certeza não, quanto a associações que, por exemplo, reivindicam abusivamente com grande estardalhaço sua pseudo filiação à Kredenn Geltiek, (Endereço de email : druidtraditionk@webmails.com ) Kredenn Geltiek que  nos pede para desmentir categóricamente esta prétenção sobre o assunto : ninguém além dos membros desta muito respeitável assembléia podem legitimamente se dizer pertencentes à Kredenn Geltiek.

 

Se nos referimos à classificação desta brilhante obra citada no começo deste parágrafo, não existem nada além ds Druidas de primeira categoria e alguns de quarta categoria, logo deve ficar bem entendido que devem ser excluídos os que praticam a impostura se fazem prevalecer de qualqeuer forma de outras linhagens que não os reconhecem, para tentar se legitimar.

 

Não hesitai em nos consultar si possuirdes dúvidas com respeito á qualidade de vossos interlocutores !

 

Pergunta :  Eu não pertenço à Tradição dos Druídas, mas eu a aprecio com respeito àquilo que li no site da OD/DO/OCCTD . Poderia escrever algo a respeito para que seja publicado?

 

Resposta : Se respeitardes a ética da Tradição (não-violência, tolerância, compaixão, etc.… ver  Carta ética OCCTD ) e que o assunto seja pertinente, bem escrito ou de um atrativo poético suficiente, tereis grandes chances de que seja publicado sem outra condição, quaisquer sejam suas origens. Enviai-nos vosso artigo ou vossos versos em português para druidas@globo.com ou em françês para a França para odaloskiant@worldoline.fr .

 

Pergunta : Quem dirige a Ordem dos Druidas ? Existe algum « Papa » dos Druidas ?

 

Resposta : A Ordem dos Druidas (OD/DO/OCCTD) é exclusivamente dirigida de maneira colegial pelo Sagrado Colégio, reunido em Conselho Sagrado dos Sábios de Celtia, onde são representadas absolutamente todas as Assembléias pertencentes de maneira autêntica à Tradição.

 

Pergunta : Halloween é a mesma festa que Samonios (Samain) (Samên) ?

 

Resposta : Com certeza não ! Halloween é uma festa cristã irlandesa, não apreciada pelo clero desta obediência, que depois foi transportada para os USA pelos imigrantes irlandeses. Nem a sua data, nem seus « rituais » são aqueles da Tradição Primordial, referencia dos Druidas.

 

Com efeito, se o Halloween é celebrado sistematicamente no dia 1o. de novembro, Samonios não coïncide com esta data do Calendário Gregoriano a não ser a cada 19 anos, simpesmente porque sua data é fornecida pelas fases da lua ( Ciclo de Meton).

 

Pergunta : É verdade que Samonios é também celebrado pelos bruxos ?

 

Resposta : Não podemos impedir que quaisquer tipo de « cerimonias » mais ou menos fantasiosas  pretendam ser assim celebradas como Samain.

 

Por isso, somente uma pessoa consagrada segundo a Tradição dos Druidas pode oficiar oficialmente as cerimônias de Samonios ou toda outro cerimonia que se refira à esta Tradição.

 

Ela velará para que nenhum « bruxo » sem ética moral dela participe, com seu conhecimento, sempre que possível. Assim, certos membros da Wicca podem talvez ser convidados a participar de certas celebrações.

 

Pergunta : A Ordem dos Druidas é considerada como uma seita pelo Estado ?

 

Resposta : Até o presente momento com certeza não.. Por outro lado certos grupinhos que se reivindicam do druidismo não o são sem nenhuma dúvida !

 

Pergunta : Aprenderei a « magia » e as ciências ocultas dentro da Ordem dos Druidas no contexto de minha iniciação ?

 

Resposta : Nada nesse sentido, mas por outro lado aprendereis à tomar consciência de vosso ambiente e de como viver em harmonia com ele. Aqueles que assim adquiriram uma consciência e uma mestria obtida por este conhecimento obtêm em geral os efeitos qualificados de « mágicos » e fantásticos aos olhos dos profanos ignorantes, mas eles utilisan únicamente as leis naturelais com discernimento. Não contai portanto conosco para vos faire tornar um simulacro de Harry Potter .

 

Pergunta : Quando serei eu consagrado Druída ?

 

Resposta : Tal é a Pergunta que se fazem muitos dos noviços quando postulam à admissão no seio de uma Assembléia da Ordem.

 

Com efeito, sua Pergunta é a melhor demonstração de que eles não estão aind aprontos para assumir esta dignidade.

 

Em verdade, um ser não pode ser consagrado Vate, Bardo, Druída, ou Ban Drui, a não ser quando tenha se tornado : La consagração não é mais do que o reconhecimento por seus pares de sua maestria das faculdades necessirías para o exercício de seu sacerdócio.

 

Aquele ou aquela que busca nada além do prestígio relacionado ao título, sem ser consciente da humildade necessária ao sacerdócio, não adquirirá jamais estas faculdades.

 

Porque é necessária imensas humildade, paciência e tenacidade para vê-los se expandir no seu ser.

 

Os presunçosos, os impacientes, os instáveis ficarão inevitavelmente em cheque, porque não terão remediado suas carências.

 

RESUMO